História do Sindicato

AS PUBLICAÇÕES

 NEPTUNO

Com a intenção de levar junto dos sócios toda a informação relevante sobre os assuntos do mar e correlativos, iniciou a Liga dos Oficiais a publicação mensal de um Boletim Informativo, em abril de 1914. No editorial dessa primeira publicação constava a seguinte mensagem da Direção dirigida “Aos socios”, de que damos conta num breve excerto:

No nosso Paiz não existe publicação alguma exclusivamente destinada à marinha mercante e não consta que tivésse existido. Éssa lacúna vem agora, embóra em muito modestas condições, ser preenchida por este Boletim cujo fim principal é trazer os socios ao facto do que se passa no mundo marítimo e tratar dos interesses da classe. Por ele poderão os colegas, sempre em viagem e que ráras vezes se avistam, trocar impressões e conhecimentos que concorrerão para estreitar os laços d’estima e de camaradágem que são o lenitivo d’uma vida tão árdua como a nossa”.  

Em março de 1916 era publicado o último Boletim Informativo, em virtude de “adversidades várias”. Não aceitou contudo a Liga que se criasse um vazio na informação aos sócios, e nove anos volvidos, consegue a primeira publicação da revista “Neptuno”, que se pretendia que saísse com uma regularidade periódica mensal.

Primeira “Neptuno” publicada em novembro de 1925

Como uma revista deste tipo tem custos, e que sem um apoio constante de anunciantes e de colaboradores em textos de interesse para a classe, nem sempre é possível manter a sua regular publicação.

Assim, durante vários períodos da história do nosso sindicato, a Direção do Sindicato teve de suspender a “Neptuno”, tendo sido a última publicada em 2009, aquando do centenário do OFICIAISMAR.

Referimos algumas breves curiosidades e factos que despertam a atenção quando percorremos as páginas das revistas compiladas em livros:

  • Apesar dos oficiais maquinistas não integrarem a Liga dos Oficiais desde 1911, colaboravam com artigos técnicos da Associação dos Oficiais Maquinistas da Marinha Mercante.
  • Em 1926 aparece a revista com a obrigatória e humilhante inscrição de “este número foi visado pela comissão de censura militar”.
  • Em 1931 esta comissão passou a designar-se “comissão de censura militar de Lisboa”, para a partir de 1932, ter passado à tristemente conhecida denominação de “comissão de censura” que condicionava todas as publicações e atividades no país. Nesse tempo muitos artigos da “Neptuno” terminavam com a imposta expressão, “a bem da nação”.

OUTRAS PUBLICAÇÕES

Foram ainda reproduzidas pelo Sindicato algumas publicações de interesse profissional para a classe, da autoria de associados, tais como: “As Novas Fórmulas sobre Caimento do Navio”, “Tabelas e Coeficientes de Estiva”, “Guia Prático de Estiva e Separação de Cargas Perigosas” e “GMDSS – Guia Prático de Procedimento a Bordo”.

Em janeiro de 2009 foi realizado pela Direção um trabalho intitulado “A Marinha Mercante e a Falta de Marítimos”.